Aprendamos sobre a tiróide

Rate this post

Existem vários mitos em torno deste diagnóstico que podem desinformar no que diz respeito às implicações reais que carrega consigo esta condição.

Os distúrbios da tireoide não se limitam a apenas um tipo de sintomatologia e tratamento específico, por isso é importante aprender a distinguir as diferentes alterações da glândula tireoide no organismo.

A tiróide

José Fernando Botero Arango, especialista em endocrinologia, explica, de forma profunda e simples de que se trata este transtorno, as causas e seu tratamento.

O que é a tireoide?

A tireoide é uma glândula que fica localizada na parte frontal do pescoço, sua função é produzir hormônios que, por meio do sangue são distribuídos para diferentes partes do organismo, por conseguinte, participam da maioria das funções celulares e metabólicas.

Por que ocorrem problemas na glândula?

Podem-Se ter três alterações na glândula da tireoide:

1. Afetado por função

Os hormônios chegam a algum órgão ou tecido para produzir uma função específica, se a contagem de hormônios é maior, gera sobrecarga nos tecidos e produz hipertireoidismo. Se, pelo contrário, há menos hormônios, ocorre um déficit no organismo, que provoca hipotireoidismo.

É dizer:

  • Excesso de hormônios: hormônios sexuais
  • Deficiência de hormônios: hipotireoidismo

2. Alteração por nódulos na tireoide

Os nódulos são tumores que podem ocorrer exatamente na glândula da tireóide e pode ser tanto benignos como malignos. É importante saber que caráter pertencem para receber o tratamento adequado, uma vez que os malfeitores estão associados com câncer de tireóide, enquanto que os benignos só precisam de acompanhamento ou uma cirurgia extrativa se chega a ser necessária.

3. Crescimento da glândula

Essa saliência é comumente chamada boche e produz distúrbios mecânicos, uma vez que pode comprimir a traquéia e gerar um problema respiratório ou comprimir o esôfago e gerar dificuldades para passar os alimentos. Também pode causar problemas na fala a mesma inflamação glandular.

Este problema parte, por uma deficiência de iodo, em países como a Colômbia foi declarado que sua população está livre de tal deficiência, já que, por lei, toda a sal tem que conter iodo.

Detectar a tiróide

1. Há que se auto-analisar para determinar se o pescoço aumentou a sua espessura ou apresenta nódulos, isso é evidente e de fácil detecção, sem a necessidade de um parecer médico. Ao descobrir alguma anomalia se torna de caráter imperativo consultar com um profissional.

2. Cabe esclarecer que, se não têm uma história de radioterapia na região do pescoço ou um familiar em primeiro grau têm a doença da tireóide, a presença de irregularidades na área glandular é considerada como um fator de risco, por isso que o que se tem que estar atento ao encontrar importantes alterações na glândula tireoide.

3. “É provável que você não sinta nada e verificação de anomalias por exames de rotina ou exames, por isso é importante sempre pedir que os exames de rotina, esteja o da tireoide”, diz o doutor Botero, que tem mais de 10 anos de experiência na matéria.

Quais são os sintomas?

Tudo depende de se o excesso ou o défice hormonal, uma vez que, se há hipertireoidismo podem apresentar taquicardia, palpitações, tremores, calor, perda de peso, diarréia, insônia e alterações do humor.

Por outro lado, está o hipotireoidismo, que provoca aumento de peso, sensação de frio, fadiga, queda de cabelo, inchaço corporal, constipação e diminuição do ânimo.

Em uma faixa intermediária estão os sintomas muito inespecíficos, isto é, são pacientes que podem apresentar fadiga ou tonturas, mas isso é incerto, porque as doenças podem estar ou não relacionadas com uma doença da tireoide.

Tratamentos

Se os nódulos estão gerando desconforto terá que intervir cirurgicamente para extrair da tiróide, de ter um diagnóstico de câncer, a cirurgia é de carácter obrigatório. Se os nódulos não estão gerando nenhum tipo de problema devem ser mantidos sob observação.

Os tratamentos dependem do tipo de doença e sugestão do médico assistente, ele pode receitar medicamento, hormônios, iodo radioativo ou cirurgia de ser necessária.

Segundo o Dr. José Fernando Botero, “Os tratamentos são por tempo indeterminado, tudo depende do diagnóstico do paciente. Os cuidados são os mesmos de uma pessoa normal: comer bem, praticar esportes, não fumar e ter uma vida tranquila”.

Ainda são incertas as razões pelas quais aparecem as doenças da tireoide, na maioria dos casos, são de natureza congénita, mas ninguém está isento de sofrer alterações na glândula tireoide.

“Recomendo que as pessoas tenham um estilo de vida saudável: coma bem, durma o necessário, faça exercícios regularmente e que estejam tranquilos. Se tiver alguma condição ou motivo de consulta, como as acima nomeadas, consulte o seu médico para diagnosticar o tipo de doença e definir o tipo de tratamento”, conclui o médico.

Mitos em torno da tiróide

Ao engravidar, as mulheres sofrem alterações fisiológicas, o que aumenta o requerimento de hormônios de 25% a 30%. O corpo está na capacidade de produzir por si, mas se você não pode compensá-lo é porque poderia ter tido a doença tireoidiana, desde antes de ficar em estado de gravidez. Se a pessoa é consciente de seu diagnóstico, tem que dizer ao seu médico que pretende estar na gravidez.

A glândula, na maioria das vezes, não altera o peso. Quando se tem excesso de hormônios ocorre uma baixa de peso, quando se tem o défice só aumentam 1 ou 2 quilos, dependendo da gravidade, mas não é possível ser obeso por alteração da tireóide.

Um grupo de profissionais em diferentes áreas da saúde está à sua disposição para resolver as suas preocupações.

Fale com nossos especialistas

Este artigo está relacionado com estas categorias

Deixe uma resposta